Olimpio quer tratamento público para dependentes de drogas Paraíba, 23/03/2011

Olimpio quer tratamento público para dependentes de drogas

     Atentos ao estarrecedor crescimento do consumo e das dificuldades para o tratamento do usuário de drogas, a Câmara Municipal de Campina Grande aprovou por unanimidade, requerimento do vereador Olimpio Oliveira (PMDB) endereçado a Secretária Municipal de Saúde, Dra Tatiana Medeiros, solicitando medidas necessárias à organização e habilitação das unidades de Serviços Hospitalares de Referência para a Atenção Integral aos Usuários de Álcool e outras Drogas, conforme preconiza a Portaria do Ministério da Saúde, nº 2.842, de 20 de setembro de 2010, em anexo.
     Na tribuna da Câmara o vereador Olímpio Oliveira considerou que o Governo Federal lançou no ano passado, o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas (Decreto nº 7.179, de 20 de maio de 2010), com investimentos previstos em ações de saúde, assistência e repressão ao tráfico no montante de R$ 400 milhões.
     Em seu discurso o vereador peemedebista alertou os demais parlamentares que historicamente, Campina Grande enfrenta a desassistência aos dependentes químicos, fato agravado com a reforma psiquiátrica implantada pelo Ministério da Saúde, com o advento da Lei nº 10.216/2001, implicando no fechamento do Hospital de Neupsiquiatria Dr. João Ribeiro.
     Outro fato preocupante destacado pelo vereador ocorreu no ano de 2009 com a desativação do Núcleo Ambulatorial Psiquiátrico do Hospital Universitário Alcides Carneiro. Desta forma, segundo Olimpio serviços importantes foram fechados sem a previsão de leitos substitutivos e como conseqüência os familiares de pacientes com dependência química encontram cada vez mais dificuldades em encontrar leitos para internação, pois, os hospitais gerais de Campina Grande se negam receber tais doentes.
     “Tendo em vista que o Ministério da Saúde está disponibilizando recursos para ampliação do número de leitos em serviços de urgência e emergência e hospitais gerais, sendo a meta de 2.500 leitos para usuários de crack e outras drogas em Hospitais Gerais, solicitamos que a Secretária de Saúde, interceda e acolha nossa solicitação, com o objetivo de amenizar o sofrimento dos dependentes, bem como, de seus familiares” solicitou Olimpio Oliveira.
  





Assessoria de Comunicação