Câmara debaterá a implantação de Trens de Passageiros em Campina Paraíba, 15/09/2011

Câmara debaterá a implantação de Trens de Passageiros em Campina

     Em busca de soluções mais práticas e econômicas que possam diminuir a fragilidade do sistema de transporte de nossa cidade, o vereador Olimpio Oliveira solicitou e a Câmara Municipal de Campina Grande aprovou por unanimidade, requerimento solicitando a realização de Audiência Pública para debater a possibilidade da reformulação do Sistema de Transporte Coletivo de Campina Grande com implantação de Veículos Leves Sobre Trilhos (VLT) ou de Trens de Passageiros, com o aproveitamento da infraestrutura ferroviária existente na cidade.
     Para Olimpio Oliveira, ao analisar a realidade de Campina Grande, verifica-se que, apesar dos avanços no Sistema Público de Transporte Coletivo, com a implantação do “Bilhete Único”, muitas pessoas ainda se encontram à margem dos serviços prestados pelo Sistema, ou seja, muitas pessoas continuam sem poder arcar com o preço das passagens, pois não dispõem de renda compatível com os valores tarifados pelo Sistema.
     Segundo o parlamentar, além disso, a cidade enfrenta um gravíssimo problema de constantes congestionamentos de veículos na malha viária central, pois o volume de veículos transitando aumenta a cada dia. Só na ultima década a quantidade de veículos da cidade dobrou, ou seja, a continuar essa tendência teremos na próxima década um centro da cidade praticamente intransitável. “Hoje, na Av. Floriano Peixoto, a concorrência entre veículos leves e ônibus já é sentida e causa diversos transtornos e acidentes” destacou. 
     Considerando que a nossa cidade tem o privilégio de ser cortada pela Linha Ferroviária que impulsionou o nosso progresso no passado. Os trilhos cortam a cidade de ponta a ponta desde a partir do Bairro do Araxá, onde temos o Hospital da FAP, passando nas imediações da Escola Redentorista, Universidade Estadual da Paraíba e Universidade Federal de Campina Grande,
     Depois da UFCG segui pelos Bairros do Pedregal, Santa Rosa, Centenário, Quarenta (ao lado dos prédios das forças policiais), Estação Velha (por trás do Hiperbompreço), Tambor, Itararé, Catolé, Distrito Industrial e Galante, ou seja, são trilhos que poderiam transportar vidas com segurança, de forma ecologicamente correta, mas que hoje servem apenas para transportar mercadorias e criar transtornos nos bairros que são cruzados pela Linha devido às manobras quase sempre arriscadas. 
     “O Sistema de Trens Urbanos em João Pessoa é composto por 04 locomotivas interligando os municípios de Cabedelo, João Pessoa, Bayeux e Santa Rita, na Grande João Pessoa e o custo da tarifa é R$ 0,50, em Campina, o sistema poderia perfeitamente funcionar em harmonia com os ônibus urbanos como já é um sucesso na capital” defendeu Olimpio.





Assessoria de Comunicação