De ônibus: Sofrendo na pele o que o usuário sofre todos os dias Paraíba, 30/04/2012

De ônibus: Sofrendo na pele o que o usuário sofre todos os dias

      Hoje fiz mais uma das minhas verificações a respeito do Transporte Coletivo da cidade. O trajeto escolhido foi do bairro de José Pinheiro para a Universidade Federal. O resultado não poderia ser pior, pois embarquei no primeiro ônibus, prefixo nº 0110, da Empresa Cabral, na Rua Campos Sales, às 10h35, cheguei ao Terminal de Integraçã...o de Passageiros, às 10h51. Essa parte do trajeto teria sido perfeita, não fosse um detalhe: A Cabral continua fazendo o motorista acumular a função de cobrador.
      Chegando ao Terminal de Passageiros, desembarquei e sem espera ingressei no ônibus, prefixo 0045, da Empresa Nacional, induzido que fui pela placa de sinalização da STTP, a qual mostrava o itinerário da Linha 263 B, na seguinte ordem: “Prata, UFCG, Chico Mendes, St. Bárbara”. Pensei: - Estou na Prata, logo, a próxima parada será na UFCG. Ledo engano, o BUSÃO seguiu o caminho inverso, ou seja, Santa Bárbara, Chico Mendes, St. Bárbara”. Pensei: - Estou na Prata, logo, a próxima parada será na UFCG. Ledo engano, o BUSÃO seguiu o caminho inverso, ou seja, Santa Bárbara, Chico Mendes, UFCG e Prata. Com direito a uma paradinha no ponto final (Chico Mendes) para o lanche do motorista e do cobrador.
      Resultado: O percurso do bairro de José Pinheiro para a UFCG foi cumprido em uma hora e dezesseis minutos. Assim, entendemos o porquê do trânsito caótico da cidade. Se o transporte coletivo é caro, lento e de qualidade questionável, cada um busca soluções individuais. E haja carro e motos nas ruas.Ver mais





Assessoria de Comunicação