Na tribuna, Olimpio diz que o Plano Municipal de Gestão de Resíduos Sólidos foi sancionado sem considerar sua emenda que beneficia os catadores Paraíba, 22/10/2014


Na tribuna, Olimpio diz que o Plano Municipal de Gestão de Resíduos Sólidos foi sancionado sem considerar sua emenda que beneficia os catadores

Na manhã desta terça-feira (21), o vereador Olimpio Oliveira demonstrou a sua indignação, ao fazer uso da tribuna da Câmara Municipal, ao constatar que a emenda de sua autoria, contemplando as reivindicações dos catadores de matérias recicláveis, não havia sido inserida na redação final da Lei Complementar nº 087, de 15 de agosto de 2014, apesar de ter sido aprovada por unanimidade pelos vereadores. “Nunca vi um absurdo maior, pois, é a primeira vez que vejo nesta Casa um projeto ser aprovado com a respectiva emenda, a qual não foi vetada, pois até hoje este Poder não recebeu as pretensas razões do veto, ou seja, o prefeito sancionou a lei, excluindo a nossa emenda do texto legal, sem, no entanto, apresentar a esta Casa as razões da exclusão. Espero que a Mesa Diretora adote urgentes providências para resguardar as nossas prorrogativas. Afinal, não estamos em regime de exceção. As decisões desta Casa não podem ser modificadas ao talante do governante da hora”, protestou Olimpio.

Segundo Olimpio, A versão final do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Município de Campina Grande (PMGIRS-CG) é um verdadeiro acinte aos movimentos sociais organizados, os quais estiveram envolvidos na construção do referido Plano desde a origem, ou seja, contribuindo de forma devotada e voluntária com sugestões técnicas e fundamentadas na convivência prática com as formas com que lidamos com o “lixo” em nossa cidade.

Para Olimpio, o mínimo que as instituições e organizações envolvidas nesse labor esperavam por parte do Poder Público era o reconhecimento do esforço desprendido, o qual seria evidenciado no acolhimento das propostas aprovadas em Audiência Pública, com a respectiva consignação no texto final do Plano. “Lamentavelmente, faltaram sensibilidade e espírito público para tanto. A nossa Emenda é um apelo final e dramático para que a vontade e a voz dos cidadãos sejam respeitadas, visto que eles atenderam ao chamado do Poder Executivo para contribuir na construção do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Município de Campina Grande e cumpriram civicamente o papel a eles reservado. A nossa Emenda era a esperança de centenas de catadores de materiais recicláveis, os quais não tiveram as suas principais reivindicações contempladas no malfadado Plano”, lamentou Olimpio.

 





Assessoria de Comunicação